Invent
Av. 85 (S1), Ed. Colibri, nº 51, Qd. S13, Lt. 23
4º Andar - Sala 402 - St. Bela Vista, Goiânia - GO
Fone/Fax: (62) 3932-1105
0
Comentários
Tags:Scot Consultoria, Scot, Adubação, Pastagem, Pastagens, Consupec, Produzir, Pecuária, Fertilizante, Pasto.
0
Comentários
Tags:Consupec, Adubação de Solos, Modelo de Balanço de Massa, Correção e Adubação de Solos, Pasto, Leite, Corte, Gado, Bovino, Solo.

Um sistema de gestão é uma estrutura comprovada para gerenciar e continuamente melhorar as políticas, procedimentos e processos de sua organização.


Desbloqueando o seu potencial


Os melhores negócios trabalham como unidades completas que compartilham a mesma visão. Isto pode incluir compartilhamento de informação, ''benchmarking'', trabalho em equipe e trabalho de acordo com os mais elevados princípios de qualidade e meio ambiente.

 

Um sistema de gestão ajuda sua organização a atingir estas metas através de uma série de estratégias, incluindo otimização de processos, foco na gestão e pensamento disciplinado de gestão.


Por que os sistemas de gestão são importantes?


Os negócios que operam no século XXI enfrentam muitos desafios significativos, incluindo:

 
-Lucratividade
-Competitividade
-Globalização
-Velocidade de mudança
-Adaptabilidade
-Crescimento
-Tecnologia

 

Equilibrar estes e outros requisitos do negócio pode ser um processo difícil e assustador. Aqui é onde os sistemas de gestão podem ajudar, desbloqueando o potencial de sua organização.

 

Ao implementar um sistema de gestão eficaz pode ajudá-lo a:

 
-Gerenciar seus riscos sociais, ambientais e financeiros
-Melhorar a eficácia operacional
-Melhorar a satisfação dos clientes e stakeholders
-Proteger sua marca e imagem
-Conseguir melhorias contínuas
-Promover a inovação
-Remover as barreiras ao comércio
-Deixar as regras claras no mercado

 

Ao usar um sistema de gestão comprovado você é capaz de renovar continuamente sua missão, estratégias, operações e níveis de serviço.

 

10
Comentários
Tags:Software, Sistema, Gestão, Programa.
Set
21
2012

 

Goiás é o Terceiro maior Produtor Nacional de Soja

 

Localizado na região Centro-Oeste, na qual a atividade agropecuária tem grande destaque, Goiás apresenta extensas áreas de pastagens e lavouras. Quase metade do território goiano é formada por latifúndios rurais, ou seja, propriedades com mais de mil hectares.

 

Em 2008, a contribuição de Goiás para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro foi de 2,5% e, no âmbito regional, sua participação foi de 27,6%.

 

A composição do PIB goiano é a seguinte:

 

Agropecuária: 11%
Indústria: 27%
Serviços: 62%


A agropecuária goiana tem grande importância no cenário econômico nacional, uma vez que sua produção de carnes e grãos impulsiona a exportação estadual.


Goiás é um dos maiores produtores de tomate, milho e soja do Brasil. Responsável por 33% da produção nacional de sorgo, Goiás é o principal produtor desse grão no país. Outros cultivos importantes são: algodão, cana-de-açúcar, café, arroz, feijão, trigo e alho.


A pecuária, por sua vez, está em constante expansão. O estado possui, atualmente, o terceiro maior rebanho bovino do país. O aspecto negativo com relação à agropecuária é que ela é a principal atividade responsável pela destruição do bioma Cerrado, visto que desencadeia constantes desmatamentos e degradação do solo.


Goiás também possui reservas minerais. Entre essas, destacam-se os municípios de Minaçu (extração de amianto), Niquelândia e Barro Alto (níquel), além de Catalão (fosfato).

 

A indústria goiana é responsável por 27% do PIB regional, esse setor da economia vem se diversificando constantemente. A cidade de Goiânia, capital do estado, abriga boa parte dos complexos industriais. Outras cidades que se destacam são: Aparecida de Goiânia, Anápolis, Catalão, Rio Verde e Itumbiara.


O Distrito Agroindustrial de Anápolis (DAIA) possui o maior polo farmoquímico da América Latina, abrigando também, indústrias alimentícias, automobilísticas, têxteis, além de possuir o único porto seco brasileiro.


O turismo é outra atividade de fundamental importância para a economia goiana. As cidades de Caldas Novas e Rio Quente, principais estâncias hidrotermais do país, atraem milhares de visitantes. O turismo histórico é cultuado na Cidade de Goiás (Goiás Velho), Corumbá e Pirenópolis. Na região da Chapada dos Veadeiros e do Rio Araguaia, o turismo ecológico é proporcionado.

 

Dados referentes à exportação e importação de Goiás:


Exportações - 4,1 bilhões de dólares:

 

Soja: 27%
Carne bovina: 16%
Resíduos da extração do óleo de soja: 12%
Sulfeto de cobre: 12%
Carne de aves: 7%
Ferro-nióbio: 3%
Milho em grãos: 3%
Outros: 20%.


Importações - 3 bilhões de dólares:


Carros e peças: 37%
Adubos e fertilizantes: 20%
Produtos farmacêuticos: 12%
Máquinas e equipamentos: 8%
Enxofre: 3%
Outros: 20%.

 

Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

0
Comentários
Tags:Economia, Economia Goiana, Agronegócio, Agropecuária, Goiás.
Set
17
2012

Introdução

 

O Brasil possui atualmente uma economia forte e sólida. O país é um grande produtor e exportador de mercadorias de diversos tipos, principalmente commodities minerais, agrícolas e manufaturados. As áreas de agricultura, indústria e serviços são bem desenvolvidas e encontram-se, atualmente, em bom momento de expansão. Considerado um país emergente, o Brasil ocupa o 7º lugar no ranking das maiores economias do mundo (dados de 2011). O Brasil possui uma economia aberta e inserida no processo de globalização.

 

Informações, índices e dados da economia brasileira

 

Moeda: Real (símbolo R$) PIB (Produto Interno Bruto): R$ 4,143 trilhões (ano de 2011) ou US$ 2,367 trilhões * taxa de câmbio usada US$ 1,00 = R$ 1,75 (em 06/03/2012)

Renda per Capita (PIB per capita): R$ 21.252 ou US$ 12.144 (2011) * taxa de câmbio usada US$ 1,00 = R$ 1,75 (em 06/03/2012)

Coeficiente de Gini: 49,3 (2008) alto

Evolução do PIB nos últimos anos: 2,7% (2002); 1,1% (2003); 5,7% (2004); 3,2% (2005); 4 % (2006); 6,1% (2007); 5,2% (2008); - 0,3% (2009); 7,5% (2010); 2,7% (2011).

Crescimento do PIB no 1º trimestre de 2012: 0,2% (entre janeiro e março) e 0,8% em comparação ao 1º trimestre de 2011.

Taxa de investimentos: 19,3% do PIB (2011)

Taxa de poupança: 17,2% do PIB (2011)

Força de trabalho: 104 milhões (estimativa 2011)

Inflação: 6,5% (IPCA de 2011)

Taxa de desemprego: 5,8% (maio de 2012)

Taxa básica de Juros do Banco Central (SELIC): 8% ao ano (julho de 2012)

Salário Mínimo Nacional: R$ 622,00 (a partir de 1º de janeiro de 2012)

Dívida Externa: US$ 271 bilhões (estimativa em fevereiro de 2011)

 

Comércio Exterior:

Exportações: US$ 256,041 bilhões (2011)

Importações: US$ 226,251 bilhões (2011)

Saldo da balança comercial (2011): US$ 29,790 bilhões (superavit) - Crescimento em relação ao ano de 2010: 47,8%

Países que o Brasil mais importou (2011): Estados Unidos , China, Argentina e Alemanha

Países que o Brasil mais exportou (2011): China, Estados Unidos, Argentina, Holanda e Japão

Principais produtos exportados pelo Brasil (2010): minério de ferro, ferro fundido e aço; óleos brutos de petróleo; soja e derivados; automóveis; açúcar de cana; aviões; carne bovina; café e carne de frango.

Principais produtos importados pelo Brasil (2010): petróleo bruto; circuitos eletrônicos; transmissores/receptores; peças para veículos, medicamentos; automóveis, óleos combustíveis; gás natural, equipamentos elétricos e motores para aviação.

Organizações comerciais que o Brasil pertence: Mercosul, Unasul e OMC (Organização Mundial de Comércio)

 

Tipos de energia consumida no Brasil (dados de 2009):

Petróleo e derivados: 37,9%

Hidráulica: 15,2%

Gás natural: 8,8%

Carvão Mineral: 4,8%

Biomassa: 21,8%

Lenha: 10,1%

Nuclear: 1,4%

Principais produtos agrícolas produzidos: café, laranja, cana-de-açúcar (produção de açúcar e álcool), soja, tabaco, milho, mate.

Principais produtos da pecuária: carne bovina, carne de frango, carne suína

Principais minérios produzidos: ferro, alumínio, manganês, magnesita e estanho.

Principais setores de serviços: telecomunicações, transporte rodoviário, técnico-profissionais prestados à empresas, transporte de cargas, limpeza predial e domiciliar, informática, transportes aéreos e alimentação.

Principais setores industriais: alimentos e bebidas, produtos químicos, veículos, combustíveis, produtos metalúrgicos básicos, máquinas e equipamentos, produtos de plástico e borracha, eletrônicos e produtos de papel e celulose.

 

Fontes: IBGE, Ministério de Minas e Energias, Banco Mundial, CIA The World Factbook.

0
Comentários
Tags:Economia Brasileira, Economia.
Set
10
2012

1 - Insira o CD-ROM do Windows XP e reinicie seu computador

2 - Aperte qualquer tecla assim que o micro religar.

Caso a mensagem para dar boot pelo CD não apareça, reinicie o computador, aperte DEL ou F8 e ative essa opção (veja como alterar o boot para CD no manual da placa-mãe)

3 - Neste momento, não aperte nenhuma tecla (se você tiver necessidade de instalar um driver SCSI ou RAID, o que é pouco provável, peça ajuda a um usuário avançado)

4 - De novo, apenas espere o programa de Setup ser carregado

5 - Para formatar, aperte ENTER.

As outras opções são: R, para reparar eventuais danos no sistema operacional, e F3, para cancelar a formatação. Atenção: reparar o sistema não é o mesmo que formatar o HD e instalá-lo de novo

6 - Para formatar, aperte ESC.

Se apertar R, o programa irá reparar a atual cópia do Windows, e não formatará o HD

7 - Aqui, tecle D para apagar a partição existente.

Essa opção é a RECOMENDÁVEL porque, assim, o sistema faz nova verificação do HD e pode encontrar defeitos físicos no disco. Mas é possível começar já a formatação. Para isso, tecle ENTER

8 - Aperte ENTER para confirmar que pretende deletar a partição existente.

A tecla ESC faz retornar à tela anterior

9 - Aperte L para, de novo, confirmar que quer deletar a partição existente. O Windows pergunta isso duas vezes porque, a partir deste ponto, todos os dados serão perdidos.

A tecla ESC faz retornar à tela anterior

10 - Aperte C para criar a partição nova. Existe aqui uma opção de criar mais de uma partição. Você pode, por exemplo, usar uma partição para instalar o sistema, e outra, para guardar dados

11 - Aqui, enfim, é o início da formatação.

O recomendado é fazer a formatação completa, e não a rápida (Quick), utilizando preferencialmente o sistema NTFS, que é mais seguro. Saiba as diferenças

12 - Início da formatação. a duração depende sua maquina

13 - Final da formatação. Apenas acompanhe

14 - Parabéns! A formatação está concluída. Com o disco já formatado, o Windows inicia o programa de instalação. Apenas acompanhe

15 - Antes de reiniciar o sistema, o programa pede para, se for o caso, retirar disquete do drive A. Mas, atenção, não retire o CD de instalação

16 - Começa a instação do Windows

Daiqui pra frente é só informar o que ele ir pedindo, ele mesmo se reinicia e tudo mais. Tenha em mãos o cd de instalação de sua placa mãe e outros drivers necesários, o resto é com você.

0
Comentários
Tags:quero formatar meu pc, meu pc precisar de formatar.