Invent
Av. 85 (S1), Ed. Colibri, nº 51, Qd. S13, Lt. 23
4º Andar - Sala 402 - St. Bela Vista, Goiânia - GO
Fone/Fax: (62) 3932-1105
Set
21
2012
A Economia de Goiás

 

Goiás é o Terceiro maior Produtor Nacional de Soja

 

Localizado na região Centro-Oeste, na qual a atividade agropecuária tem grande destaque, Goiás apresenta extensas áreas de pastagens e lavouras. Quase metade do território goiano é formada por latifúndios rurais, ou seja, propriedades com mais de mil hectares.

 

Em 2008, a contribuição de Goiás para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro foi de 2,5% e, no âmbito regional, sua participação foi de 27,6%.

 

A composição do PIB goiano é a seguinte:

 

Agropecuária: 11%
Indústria: 27%
Serviços: 62%


A agropecuária goiana tem grande importância no cenário econômico nacional, uma vez que sua produção de carnes e grãos impulsiona a exportação estadual.


Goiás é um dos maiores produtores de tomate, milho e soja do Brasil. Responsável por 33% da produção nacional de sorgo, Goiás é o principal produtor desse grão no país. Outros cultivos importantes são: algodão, cana-de-açúcar, café, arroz, feijão, trigo e alho.


A pecuária, por sua vez, está em constante expansão. O estado possui, atualmente, o terceiro maior rebanho bovino do país. O aspecto negativo com relação à agropecuária é que ela é a principal atividade responsável pela destruição do bioma Cerrado, visto que desencadeia constantes desmatamentos e degradação do solo.


Goiás também possui reservas minerais. Entre essas, destacam-se os municípios de Minaçu (extração de amianto), Niquelândia e Barro Alto (níquel), além de Catalão (fosfato).

 

A indústria goiana é responsável por 27% do PIB regional, esse setor da economia vem se diversificando constantemente. A cidade de Goiânia, capital do estado, abriga boa parte dos complexos industriais. Outras cidades que se destacam são: Aparecida de Goiânia, Anápolis, Catalão, Rio Verde e Itumbiara.


O Distrito Agroindustrial de Anápolis (DAIA) possui o maior polo farmoquímico da América Latina, abrigando também, indústrias alimentícias, automobilísticas, têxteis, além de possuir o único porto seco brasileiro.


O turismo é outra atividade de fundamental importância para a economia goiana. As cidades de Caldas Novas e Rio Quente, principais estâncias hidrotermais do país, atraem milhares de visitantes. O turismo histórico é cultuado na Cidade de Goiás (Goiás Velho), Corumbá e Pirenópolis. Na região da Chapada dos Veadeiros e do Rio Araguaia, o turismo ecológico é proporcionado.

 

Dados referentes à exportação e importação de Goiás:


Exportações - 4,1 bilhões de dólares:

 

Soja: 27%
Carne bovina: 16%
Resíduos da extração do óleo de soja: 12%
Sulfeto de cobre: 12%
Carne de aves: 7%
Ferro-nióbio: 3%
Milho em grãos: 3%
Outros: 20%.


Importações - 3 bilhões de dólares:


Carros e peças: 37%
Adubos e fertilizantes: 20%
Produtos farmacêuticos: 12%
Máquinas e equipamentos: 8%
Enxofre: 3%
Outros: 20%.

 

Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

0
Comentários
Tags:Economia, Economia Goiana, Agronegócio, Agropecuária, Goiás.



COMENTÁRIOS